Problemas

Assédio Moral no Ambiente de Trabalho: Entenda o Conceito

O Que É Assédio Moral No Trabalho

Assédio moral é a exposição de pessoas a situações humilhantes e constrangedoras no ambiente de trabalho , de forma repetitiva e prolongada, no exercício de suas atividades. É uma conduta que traz danos à dignidade e à integridade do indivíduo, colocando a saúde em risco e prejudicando o ambiente de trabalho .

Contents

Assédio moral no ambiente de trabalho: compreendendo o conceito

O assédio moral no ambiente de trabalho ocorre quando o funcionário é exposto repetidamente a situações constrangedoras, vexatórias e ofensivas à sua dignidade.

O assédio moral no ambiente de trabalho tem como principal intenção causar danos físicos e mentais ao profissional alvo. Essa forma de violência inclui xingamentos, imposição de metas abusivas, humilhações e cobranças desnecessárias.

Tipos de Assédio Moral no Trabalho

O assédio moral no ambiente de trabalho pode ser classificado em três categorias, dependendo da origem e motivação do assédio. Essas categorias são conhecidas como assédio moral vertical, horizontal e misto. A seguir, apresentarei mais informações sobre cada uma delas e as diferenças que as distinguem.

Assédio Moral no Ambiente de Trabalho: Entendendo o Conceito

O assédio moral no ambiente de trabalho, conhecido como vertical, pode ser classificado em duas formas: descendente e ascendente. O assédio descendente é uma das ocorrências mais frequentes e acontece quando um superior hierárquico pratica comportamentos abusivos contra colaboradores que estão em níveis inferiores na hierarquia da empresa.

Assédio Moral no Ambiente de Trabalho: Entenda o Conceito

Assédio moral no trabalho é tido como crime pela lei. Essa previsão está descrita no artigo 146 do Código Penal , que diz que um assediador pode ser detido por até dois anos se atentar contra a dignidade de alguém no ambiente de trabalho.

Artigo 146-A do Código Penal: Ofender reiteradamente a dignidade de alguém causando-lhe dano ou sofrimento físico ou mental, no exercício de emprego, cargo ou função.

A punição para esse crime é a detenção de um a dois anos, além do pagamento de uma multa. Além disso, o infrator também será condenado à pena correspondente ao ato violento cometido.

Apenas é possível iniciar o processo por meio de uma representação, que não pode ser retirada.

A punição é agravada em até 33% caso o indivíduo prejudicado seja menor de 18 anos.

No caso de uma transação penal relacionada ao assédio moral, é necessário que ela tenha um caráter pedagógico e conscientizador.

No entanto, não há uma lei específica sobre esse assunto, embora haja debates e propostas relacionadas em andamento no Congresso Nacional.

Quais os impactos do assédio moral no ambiente de trabalho?

De acordo com um estudo realizado pelo VAGAS.com, quase 40% dos funcionários que foram vítimas de assédio relataram que essa experiência teve consequências negativas em seu desenvolvimento profissional. Essa pesquisa, mencionada anteriormente, revelou a relação entre o assédio e os problemas enfrentados pelos colaboradores no ambiente de trabalho.

Além de afetar negativamente o progresso profissional do indivíduo, o assédio no ambiente de trabalho pode acarretar uma série de outras consequências para a pessoa que sofre com isso. A seguir, mencionarei algumas delas.

O Que É Assédio Moral no Ambiente de Trabalho

De acordo com informações fornecidas pela OMS (Organização Mundial de Saúde), um número significativo de funcionários, superior a 75 mil pessoas, sofreu de depressão e solicitou licença do trabalho como resultado do assédio moral no ambiente profissional.

A doença em questão pode surgir como resultado do assédio moral, uma vez que essa forma de comportamento afeta diretamente o bem-estar emocional do indivíduo. Como consequência, é possível observar uma diminuição no desempenho profissional, sentimentos de tristeza e um pessimismo generalizado em relação tanto à vida pessoal quanto à carreira.

You might be interested:  Causas do Escape de Fezes

Assédio Moral no Ambiente de Trabalho: Entenda o Conceito

A síndrome do pânico é caracterizada pela ocorrência repentina de medo, mal-estar ou ansiedade intensa. Esses sintomas podem surgir sem aviso prévio e causar um grande desconforto emocional. Além disso, estudos indicam que a síndrome do pânico pode estar relacionada ao assédio moral no ambiente de trabalho.

Isso ocorre porque o indivíduo que se encontra nessa situação acaba enfrentando dificuldades para progredir profissionalmente e passa a trabalhar constantemente com receio de não conseguir cumprir suas responsabilidades ou se sente sob pressão de prazos e tarefas impossíveis de serem alcançadas.

Abaixo da linha de confiança

Quando um profissional se encontra sob constante assédio moral, é comum que sua autoestima seja afetada negativamente. Isso ocorre devido à exposição frequente de suas supostas falhas e incapacidades.

Quando nos comparamos constantemente aos outros profissionais, é comum sentir-se inferior e isso pode levar a uma diminuição na produtividade, afetando diretamente nosso desempenho e desenvolvimento.

O que é assédio moral no ambiente de trabalho?

De acordo com uma pesquisa realizada pela OMS sobre o impacto da saúde mental no ambiente de trabalho, a ansiedade e a depressão são responsáveis por perdas econômicas globais estimadas em cerca de US$ 1 trilhão anualmente.

A ansiedade é um dos efeitos do assédio moral no ambiente de trabalho. Indivíduos que estão sendo alvo desse tipo de comportamento acabam desenvolvendo preocupação e nervosismo durante a realização de suas tarefas.

A ansiedade intensa resultante do assédio moral surge devido à convicção do colaborador que está sendo assediado de que qualquer erro cometido será motivo para ser ridicularizado pelos colegas ou submetido a uma cobrança excessiva e agressiva por parte do chefe.

O Que Significa Assédio Moral no Ambiente de Trabalho

O profissional começa a realizar suas tarefas de maneira automática, sem demonstrar emoção ou motivação. Essa falta de entusiasmo é acompanhada por uma indiferença em relação ao trabalho e irritação diante de qualquer evento que o afete.

Distúrbios psicossomáticos no ambiente de trabalho

O assédio moral no ambiente de trabalho pode levar a problemas de saúde física e mental, como os distúrbios psicossomáticos. Esses distúrbios ocorrem quando questões emocionais acabam se manifestando em doenças físicas.

O assédio moral pode desencadear uma série de sintomas físicos e emocionais, como dores de cabeça, desconforto no peito, tensão muscular, pressão alta elevada, dificuldade para dormir e problemas digestivos. Esses são apenas alguns dos distúrbios que podem surgir em momentos de irritação ou ansiedade causados por essa forma de violência psicológica.

O que caracteriza o assédio moral no ambiente de trabalho?

O assédio moral no ambiente de trabalho pode se manifestar de várias maneiras. Uma delas é a vigilância excessiva, quando o superior hierárquico monitora constantemente as atividades do funcionário, causando desconforto e pressão psicológica. Outra forma é advertir sem justa causa, ou seja, aplicar punições injustificadas que podem afetar negativamente a autoestima e o desempenho do colaborador.

Além disso, fomentar desconfiança entre os servidores também configura assédio moral. Isso ocorre quando um gestor incentiva um clima de competição prejudicial ao invés da cooperação entre colegas de trabalho. Essa atitude mina a solidariedade e cria um ambiente hostil.

Atribuir tarefas impossíveis de serem cumpridas também é uma forma sutil de assédio moral. Quando um chefe impõe metas inatingíveis ou sobrecarga excessiva de trabalho aos seus subordinados, ele está criando condições para que eles falhem e se sintam inadequados profissionalmente.

Para combater o assédio moral no local de trabalho, algumas dicas práticas são: promover uma cultura organizacional baseada na valorização das pessoas; estabelecer canais eficientes para denúncias anônimas; oferecer treinamentos sobre respeito mútuo e relacionamento interpessoal; criar políticas claras de combate ao assédio moral e garantir que sejam divulgadas e cumpridas por todos os colaboradores.

Um exemplo prático seria a implementação de um programa de incentivo à cooperação entre colegas, com atividades em grupo que estimulem o trabalho em equipe. Além disso, é importante que os gestores estejam atentos às demandas dos funcionários, ouvindo suas opiniões e considerando-as na tomada de decisões. Isso demonstra respeito e valorização das contribuições individuais.

Em suma, é fundamental criar um ambiente de trabalho saudável onde as relações interpessoais se baseiem no respeito mútuo. O combate ao assédio moral deve ser uma preocupação constante tanto da empresa quanto dos colaboradores para promover um ambiente profissional positivo e produtivo.

Como a empresa deve proceder após receber uma denúncia de assédio?

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa do Risco Comportamental (IPRC), mais da metade dos trabalhadores no Brasil admitem estar envolvidos em situações de assédio moral no ambiente profissional.

O que caracteriza o assédio moral?

O assédio moral é caracterizado por comportamentos abusivos, frequentes e intencionais que podem prejudicar a integridade física ou psicológica de uma pessoa, colocando em risco seu emprego ou deteriorando o ambiente de trabalho. Essas condutas podem ser expressas através de atitudes hostis, gestos ofensivos, palavras humilhantes ou escritos difamatórios.

Exemplos de comportamentos que configuram assédio moral incluem:

1. Insultar ou ridicularizar constantemente um colega de trabalho.

2. Espalhar boatos maliciosos sobre alguém com o objetivo de prejudicar sua reputação profissional.

3. Ignorar deliberadamente as contribuições e ideias de um funcionário durante reuniões ou discussões.

You might be interested:  A Magia do Boa Noite Cinderela: Descubra o Encanto por Trás dessa História

4. Sobrecarregar propositalmente um colaborador com tarefas excessivas para sobrecarregá-lo emocionalmente.

Esses são apenas alguns exemplos das diversas formas pelas quais o assédio moral pode se manifestar no local de trabalho. É importante estar ciente dessas práticas e promover um ambiente saudável e respeitoso para todos os colaboradores.

Como o funcionário deve lidar com essa situação?

Em algumas situações, o assédio moral no ambiente de trabalho pode resultar em conflitos que podem até mesmo evoluir para agressões físicas entre os colegas. Para evitar que a situação chegue a esse extremo, é importante que o colaborador tome medidas para não ultrapassar limites.

Para lidar adequadamente com uma situação de assédio moral, é importante que o funcionário saiba como agir.

Assédio Moral no Ambiente de Trabalho: Entendendo o Conceito

Manter a calma é o primeiro passo para o colaborador não perder a razão diante da prática do assédio moral no trabalho. É imprescindível reconhecer que é vítima da situação e procurar seus direitos sem se desesperar diante do assédio.

Como Lidar com o Assédio Moral no Trabalho: Recorrendo ao Departamento de Recursos Humanos

Além disso, é importante ressaltar que esse departamento desempenha um papel fundamental ao oferecer suporte aos funcionários que enfrentam situações de assédio moral. Através da escuta atenta das denúncias e do empenho na busca por soluções, o setor pode garantir que nenhum dano seja causado ao empregado afetado pelo assédio.

Aumentando a autoestima no ambiente de trabalho

Preservar a confiança em si mesmo diante de um assédio moral no ambiente de trabalho é uma tarefa desafiadora, porém essencial para evitar que o indivíduo sofra consequências emocionais ou físicas decorrentes dessa situação.

Para evitar que essa situação seja agravada, é fundamental dedicar atenção à autoestima. Isso pode ser alcançado por meio de busca por apoio psicológico, participação em terapias ou investimento em atividades de lazer que proporcionem um desligamento das responsabilidades profissionais.

Os três tipos de assédio moral: quais são?

O assédio moral no ambiente de trabalho pode ocorrer em diferentes formas. Uma delas é o assédio moral vertical ascendente, que acontece quando os subordinados praticam ações abusivas contra seus superiores hierárquicos. Nesse caso, é importante destacar que o poder e a autoridade são invertidos, causando desconforto e prejudicando a relação profissional.

Outra forma de assédio moral é o horizontal, que ocorre entre colegas de trabalho com mesma hierarquia. Nessa situação, as agressões podem ser sutis ou mais evidentes, mas sempre têm como objetivo intimidar ou humilhar o outro colaborador. É fundamental lembrar que um ambiente saudável deve promover respeito mútuo e cooperação entre todos os membros da equipe.

Além disso, existe também o assédio moral misto, que combina mais de uma das modalidades mencionadas anteriormente. Essa forma de violência psicológica pode envolver tanto subordinados quanto colegas do mesmo nível hierárquico agindo em conjunto para perseguir ou desestabilizar alguém no ambiente profissional.

Para evitar e combater o assédio moral no trabalho, algumas dicas práticas podem ser seguidas:

1) Promova uma cultura organizacional baseada no respeito: estabeleça políticas claras contra qualquer tipo de comportamento abusivo e crie um ambiente onde todos se sintam seguros para denunciar casos de assédio;

2) Realize treinamentos sobre ética e relações interpessoais: capacite os colaboradores para lidarem adequadamente com conflitos e incentivem atitudes positivas dentro da empresa;

3) Estimule a comunicação aberta e o diálogo: promova espaços para que os funcionários possam expressar suas opiniões, sugestões ou preocupações sem medo de retaliações;

4) Esteja atento aos sinais de assédio moral: fique alerta a mudanças no comportamento dos colaboradores, como isolamento social, queda na produtividade ou relatos de situações constrangedoras. Tome medidas imediatas ao identificar qualquer indício.

Lembre-se sempre que um ambiente de trabalho saudável é fundamental para o bem-estar e desenvolvimento profissional dos colaboradores. O combate ao assédio moral é responsabilidade tanto da empresa quanto dos indivíduos envolvidos. Juntos, podemos criar um ambiente mais respeitoso e acolhedor para todos.

Práticas-chave que configuram o assédio moral no ambiente de trabalho

O assédio moral no ambiente de trabalho se caracteriza por diversas práticas prejudiciais que afetam diretamente o rendimento dos funcionários, levando-os a desenvolver problemas físicos e psicológicos.

A seguir, apresentamos as características do assédio moral no ambiente de trabalho.

O Excesso de Tarefas no Ambiente de Trabalho

De acordo com um estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), quase metade dos funcionários afirmam sentir-se sobrecarregados no ambiente de trabalho.

O acúmulo de tarefas pode ser considerado assédio moral no ambiente de trabalho, pois além de diminuir a eficiência do funcionário, também representa um risco para sua saúde física e mental.

O Que Constitui Assédio Moral no Ambiente de Trabalho?

No ambiente de trabalho, é frequente observar situações em que o chefe ou o colaborador adotam um tom ameaçador um com o outro. Essa postura agressiva caracteriza uma forma comum de assédio moral no local de trabalho.

A utilização de ameaças, como a possibilidade de demissão caso um trabalho não seja entregue, pode gerar uma atmosfera de ansiedade extrema e constranger o colaborador, afetando negativamente sua saúde mental.

O Que Constitui Assédio Moral no Ambiente de Trabalho

Assediar um funcionário por meio de gritos ou tratamento desrespeitoso, seja em público na frente dos colegas de trabalho ou em particular, pode ser caracterizado como assédio moral no ambiente profissional.

You might be interested:  Expulsão de Raquel Sheherazade da Fazenda: Motivos

Assim, qualquer circunstância em que um funcionário seja repetidamente exposto a práticas destinadas a afetar sua moral de maneira desrespeitosa, como gritos e xingamentos, configura assédio moral.

Isolamento do colaborador no ambiente de trabalho

Nesse contexto, o ato de dar apelidos ofensivos pode ser uma forma de humilhar um funcionário e expô-lo ao constrangimento, causando danos psicológicos. Essa conduta é considerada assédio moral no ambiente de trabalho.

Difundindo rumores ofensivos sobre o funcionário

A disseminação de boatos ofensivos no ambiente de trabalho pode resultar em uma série de conflitos internos, podendo até configurar assédio moral. Aqueles que são alvo desses boatos podem se tornar vítimas desse tipo de violência psicológica no local onde trabalham.

Assédio Moral: A Vigilância Excessiva no Ambiente de Trabalho

Um caso ilustrativo dessa estratégia é a instalação de câmeras que monitoram de perto o funcionário durante todo o expediente.

É compreensível que o empregador deseje monitorar de perto seus funcionários, mas quando essa prática é levada ao extremo, como mencionado anteriormente, pode resultar em uma pressão excessiva sobre o colaborador.

Dessa forma, a sua rotina se torna desconfortável devido à constante vigilância e exposição a um ambiente de assédio moral no trabalho.

Identificando o assédio moral

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) estabelece que o assédio moral é caracterizado por condutas abusivas, como gestos, palavras e atitudes repetidas de forma sistemática, que afetam a dignidade ou integridade psíquica e física do trabalhador. Algumas formas comuns de assédio moral incluem:

1. Humilhações verbais constantes;

2. Isolamento social no ambiente de trabalho;

3. Sobrecarga excessiva de tarefas;

4. Atribuição constante de metas inatingíveis;

5. Críticas públicas e injustificadas ao desempenho profissional;

6. Ignorar ou menosprezar as contribuições do trabalhador.

Essas são apenas algumas das manifestações mais frequentes do assédio moral, mas existem outras formas igualmente prejudiciais para a saúde emocional dos indivíduos envolvidos.

Assédio Moral no Ambiente de Trabalho: Uma Análise Conclusiva

Uma maneira eficaz de lidar com casos de assédio é abordá-los regularmente por meio de palestras e treinamentos. Além disso, é importante estabelecer um canal confidencial para denúncias, encorajando os funcionários a comunicarem qualquer situação de assédio que presenciarem.

Caso esteja interessado em obter mais informações sobre a área de Gestão de Pessoas e Recursos Humanos, recomendo que acompanhe o blog Pontotel para se manter atualizado. Não deixe passar nenhuma novidade!

Os 4 tipos de assédio: quais são?

Existem quatro tipos de assédio mais comuns no ambiente de trabalho: o assédio moral, sexual, stalking e bullying. O assédio moral ocorre quando um indivíduo é submetido a situações humilhantes, constrangedoras ou vexatórias repetidamente por parte de colegas ou superiores hierárquicos. Esse tipo de comportamento pode incluir insultos verbais, discriminação, exclusão social e até mesmo ameaças.

Já o assédio sexual envolve qualquer conduta indesejada de natureza sexual que afete a dignidade da pessoa e crie um ambiente hostil no local de trabalho. Isso pode incluir comentários ofensivos sobre aparência física, insinuações sexuais não solicitadas, toques inapropriados ou até mesmo coerção para obter favores sexuais em troca de benefícios profissionais.

O stalking é caracterizado pela perseguição persistente e obsessiva por parte de uma pessoa em relação a outra no ambiente profissional. Isso pode envolver monitoramento constante das atividades do indivíduo alvo, invasão da privacidade através das redes sociais ou até mesmo ameaças diretas à integridade física ou emocional.

P.S.: É importante ressaltar que todos esses tipos de assédio são considerados ilegais e violam os direitos humanos fundamentais dos trabalhadores. É fundamental que as empresas tenham políticas claras de combate ao assédio e promovam um ambiente de trabalho seguro e respeitoso para todos os colaboradores.

Os 3 requisitos para configurar o assédio moral

De acordo com o jurista, existem quatro requisitos que caracterizam o assédio moral no ambiente de trabalho. O primeiro é a conduta abusiva, que se refere a comportamentos agressivos, humilhantes ou vexatórios por parte do agressor. Essas atitudes podem incluir insultos verbais, ameaças, intimidações e até mesmo gestos ofensivos.

O segundo requisito é a natureza psicológica do atentado à dignidade psíquica do indivíduo. Isso significa que o assédio moral tem como alvo principal a saúde mental e emocional da vítima. As consequências desse tipo de violência podem ser devastadoras para o bem-estar e autoestima do trabalhador afetado.

Por fim, a finalidade de exclusão também está presente nos casos de assédio moral no trabalho. O agressor busca deliberadamente excluir ou marginalizar a vítima dentro da organização, prejudicando sua reputação profissional e dificultando seu desenvolvimento na carreira.

Como comprovar o assédio moral?

O assédio moral no trabalho é uma forma de violência psicológica que pode ocorrer em diversos ambientes profissionais. Essa prática abusiva envolve comportamentos repetitivos e hostis, com o objetivo de humilhar, constranger ou desvalorizar um indivíduo dentro do ambiente de trabalho.

Esses comportamentos têm consequências graves para a vítima do assédio moral. Além dos impactos emocionais como ansiedade, estresse e depressão, também podem surgir problemas físicos decorrentes dessa situação insustentável. O trabalhador passa a ter dificuldades em se concentrar nas atividades laborais e seu desempenho pode ser afetado negativamente.