contagem

Guia prático para calcular o lucro presumido com exemplos

Como Calcular O Lucro Presumido Um Guia Pratico Com Exemplos

O cálculo do Lucro Presumido é uma tarefa essencial para empresas que optam por esse regime tributário. Neste guia prático, vamos explorar o passo a passo desse cálculo, fornecendo exemplos claros e objetivos. Entender como calcular o Lucro Presumido pode ajudar os empresários a tomar decisões financeiras mais informadas e garantir uma gestão eficiente dos impostos. Vamos mergulhar nesse assunto importante e desmistificar todo o processo de cálculo do Lucro Presumido.

Entendendo o Lucro Presumido: Um Guia Prático com Exemplos

Antes de mais nada, é importante compreender o conceito do Lucro Presumido e sua aplicação. Vamos lá?

O cálculo do Lucro Presumido é baseado em uma estimativa do faturamento, levando em consideração dados de anos anteriores e um percentual de lucro sobre esse valor. Diferente do lucro real obtido pelo empreendedor, a Receita Federal utiliza um valor presumido para essa modalidade.

Nesse sentido, os tributos são calculados com base na Receita Operacional Bruta (ROB). Além disso, outras receitas são adicionadas a esse valor para obter o Lucro Presumido. Em seguida, as alíquotas de IRPJ e CSLL são aplicadas ao Lucro Presumido para determinar o montante dos impostos devidos.

Agora que você já compreende o conceito do Lucro Presumido, vamos explorar em detalhes seu funcionamento.

Como funciona o Lucro Presumido?

Algumas áreas de atuação que podem ser consideradas como atividades econômicas incluem a agricultura, o comércio de mercadorias ou produtos, a construção civil e diversos profissionais liberais, como advogados, dentistas, administradores, médicos, contadores, engenheiros e economistas. Além disso, serviços hospitalares e transporte de cargas também são exemplos de atividades econômicas relevantes.

Quando apurar e pagar?

Período de apuração – A apuração do Lucro Presumido acontece trimestralmente, sendo assim nos dias 31 de março, 30 de junho, 30 de setembro e 31 de dezembro de cada ano-calendário ( Lei 9.430/1996 , artigos 1° e 25).

O pagamento do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) deve ser realizado até o último dia útil do mês seguinte ao encerramento do trimestre fiscal. É permitido dividir esse pagamento em três parcelas iguais, mensais e consecutivas, com vencimento no último dia útil dos três meses subsequentes ao encerramento do período de apuração.

O pagamento referente à apuração do primeiro trimestre (janeiro, fevereiro e março) deve ser realizado até o dia 30 de abril. Alternativamente, é possível dividir esse valor em três parcelas com vencimento nos últimos dias úteis de abril, maio e junho.

Obrigações acessórias do Lucro Presumido: um guia prático

Assim como em qualquer regime fiscal, o Lucro Presumido requer o cumprimento de várias obrigações acessórias.

Alíquotas de presunção

Ao calcular o Lucro Presumido, é necessário aplicar uma alíquota sobre o faturamento bruto para estimar o lucro obtido no período.

No entanto, essa definição não ocorre de forma aleatória. É nesse momento que as alíquotas de presunção entram em jogo. As margens de lucro são estabelecidas por meio das tabelas do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), conforme apresentado a seguir:

Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ)

Quando se trata da tributação do PIS/Cofins, é crucial evitar generalizações. É necessário abordar esse assunto com cuidado e precisão, levando em consideração suas particularidades e nuances.

You might be interested:  Cálculo eficiente da ferragem para reforçar uma viga

Muitas pessoas acreditam erroneamente que as empresas enquadradas no Lucro Real são taxadas pelo Regime Não-Cumulativo, enquanto aquelas do Lucro Presumido recolhem a contribuição pelo Regime Cumulativo. No entanto, essa afirmação não é totalmente precisa.

A Lei Federal 10.833/2003 estabelece as diretrizes para a regulamentação do imposto em questão e inclui diversas exceções à regra. Com o intuito de fornecer uma visão mais abrangente dessa legislação, apresentamos a seguir:

Regime Cumulativo

A alíquota do PIS corresponde a 0,65% do faturamento mensal, enquanto a alíquota da Cofins é de 3% sobre o mesmo valor.

Regime Não-Cumulativo

A taxa de PIS é de 1,65% do faturamento mensal, enquanto a taxa de Cofins é de 7,6% do faturamento mensal.

ISS e ICMS

Sendo assim, o empreendedor optante pelo Lucro Presumido tem que ir atrás de mais informações sobre esses tributos na cidade e estado em que negócio estão localizados. Dessa forma, é possível ficar em dia com as obrigações fiscais.

Guia prático para calcular o Lucro Presumido

Após compreender o funcionamento da tributação do regime do Lucro Presumido e determinar a base de cálculo para o seu ramo de atividade, é necessário aplicar as alíquotas dos impostos IRPJ e CSLL sobre essa base. No entanto, surge a dúvida: qual é o percentual dessas alíquotas?

A Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) corresponde a 9% do valor calculado como base. Já o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) é de 15% sobre a base de cálculo do lucro presumido, além de mais 10% sobre a parcela que exceder R$ 20.000,00 por mês.

Vamos agora direto ao ponto: como fazer o cálculo do Lucro Presumido? Para facilitar, vamos abordar cada imposto separadamente: Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ), Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), Programa de Integração Social/Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (PIS/COFINS) e Imposto Sobre Serviços (ISS) ou Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Além disso, elaboramos um passo a passo que você deve seguir para ter uma orientação mais clara.

Para calcular o imposto devido, é necessário seguir alguns passos. Primeiro, você deve conhecer o faturamento do período de apuração trimestral. Em seguida, identifique a margem de lucro presumida conforme as tabelas mencionadas anteriormente. Depois disso, aplique essa margem ao faturamento para obter o valor do lucro presumido. Por fim, calcule o tributo a ser pago com base na alíquota estabelecida pela legislação vigente.

Imposto de Renda

Utilizamos, portanto, a seguinte equação para calcular o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) no regime do Lucro Presumido.

  • 15% sobre o lucro presumido;
  • 10% para lucro presumido superior a R$ 20.000/mês ( Lei 9.249/1995 , art. 3º).

Caso o resultado do cálculo do Lucro Presumido para o período seja de R$30.000,00, é necessário seguir a seguinte fórmula:

O Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) é calculado com base na receita bruta da empresa. No caso de uma receita de R$30.000, a alíquota do IRPJ é de 15%, resultando em um valor de R$4.500,00. Além disso, há o adicional do IRPJ que é calculado sobre a diferença entre a receita e o limite estabelecido para esse adicional, que no caso é R$20.000. Portanto, nesse exemplo, o adicional seria aplicado sobre os R$10.000 excedentes (R$30.000 – R$20.000), resultando em um valor de R$1.000,00 adicionais ao imposto total do IRPJ que ficaria então em R$5.500,00.

PIS/COFINS

O valor do PIS é calculado multiplicando-se R$100.000 por 0,65%, resultando em R$650,00. Já o COFINS é obtido ao multiplicar R$100.000 por 3%, totalizando R$3.000,00.

PIS/COFINS não cumulativo

O cálculo do PIS é feito multiplicando o valor de R$100.000 por 1,65%, resultando em um total de R$1.650,00. Já o crédito de PIS é calculado multiplicando R$40.000 por 1,65%, que equivale a R$660,00. Ao subtrair esse valor do total do PIS, chega-se ao montante final de R$990,00.

Cálculo do COFINS:

O valor da COFINS é calculado multiplicando-se R$100.000 por 7,6%, resultando em R$7.600,00. Já o crédito de COFINS é obtido ao multiplicar R$40.000 por 7,6%, totalizando R$3.040,00. Ao subtrair o crédito do valor total da COFINS (R$7.600 – R$3.040), chegamos a um montante de R$4.560,00.

You might be interested:  Calculando o Imposto de Renda de 2024: Um Guia Completo

ISS ou ICMS

Os prestadores de serviço devem realizar o pagamento do Imposto sobre Serviços (ISS). É essencial verificar a alíquota praticada pela prefeitura do município, pois ela pode variar entre 2% e 5%.

Como calcular o Lucro Presumido: um guia prático com exemplos

Com o objetivo de esclarecer completamente o processo de cálculo do Lucro Presumido, apresentaremos um exemplo prático que demonstra a forma como são calculados os tributos mencionados anteriormente.

Caso um negócio de serviços contábeis tenha uma receita acumulada de R$ 500 mil em um trimestre, seu lucro presumido será de R$ 160 mil (32%). Nesse caso, serão aplicados impostos federais sobre esse valor, como o IRPJ e a CSLL.

Ao calcular o lucro presumido de uma empresa, é necessário aplicar a alíquota correspondente. Por exemplo, se o lucro for de R$ 500.000 e a alíquota for de 32%, chegamos ao valor de R$ 160.000. Em seguida, para determinar o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) a ser recolhido no trimestre, multiplicamos esse valor por 15%, resultando em um total de R$ 24.000.

Adicional IRPJ

Ao multiplicar 500.000 por 0,32, obtém-se o valor de 160.000 como resultado, que representa o lucro presumido sujeito ao Imposto de Renda adicional.

O valor a ser pago de Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) adicional no trimestre é calculado através da fórmula: (receita bruta – despesas dedutíveis) multiplicado por 10%. No caso específico, o montante a ser recolhido é de R$ 10.000.

O valor a ser recolhido de CSLL no trimestre é calculado multiplicando-se 160.000 por 9%, resultando em 14.400 reais.

PIS/Cofins

O valor do PIS a ser recolhido no trimestre é calculado multiplicando-se 500.000 pela taxa de 0,65%, resultando em 3.250 reais.

O valor a ser recolhido de Cofins no trimestre é calculado multiplicando-se 500.000 por 3%, resultando em 15.000 reais.

O valor do ISS a ser recolhido no trimestre é de R$ 25.000, calculado a partir da multiplicação de R$ 500.000 pela alíquota de 5%.

Portanto, resumindo os impostos, podemos afirmar o seguinte:

Impostos | Alíquota | (%) S/Faturamento | Valor Trimestre (R$)

———–|———-|——————|———————

IR | 15% | 4,8% | 24.000

CSLL | 9 |2,88% |14.400

PIS |0,65% |0,65% |3.250

COFINS |3 % |3 |15.000

ISS

Total

Lembrando que esses números são meramente ilustrativos e foram utilizados para exemplificar a aplicação das alíquotas fiscais em um cenário hipotético de uma empresa brasileira.

O montante total a ser desembolsado em impostos será de R$ 91.650, como resultado dessa situação.

Prós e contras do Lucro Presumido: um guia prático

Outro benefício é a possibilidade de obter um lucro maior se o percentual cobrado for menor do que seria no Lucro Real. Isso ocorre porque as alíquotas reduzidas podem resultar em uma carga tributária menor sobre os lucros da empresa.

Por fim, ao adotar essas alíquotas mais baixas, também há uma redução nos cálculos necessários para determinar os valores a serem pagos. Isso simplifica o processo contábil e fiscal da empresa.

Desvantagens

Inicialmente, é importante que todo empreendedor avalie qual regime tributário é mais vantajoso para o seu tipo de negócio: Lucro Presumido, Lucro Real ou Simples Nacional.

Cálculo do Lucro Presumido: Como fazer?

Para calcular o faturamento total do trimestre, é necessário seguir alguns passos. Primeiramente, pesquise a margem de presunção específica para a sua atividade econômica. Essa informação pode ser encontrada em tabelas ou consultando órgãos competentes.

Após encontrar a margem de presunção adequada, multiplique-a pelo valor do faturamento obtido no trimestre. Esse cálculo resultará na base de cálculo do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ). Por exemplo, se a margem de presunção for 30% e o faturamento trimestral for R$100.000,00, então a base será R$30.000,00.

Em seguida, aplique uma alíquota sobre essa base para determinar o valor referente ao IRPJ que deverá ser pago. A alíquota varia conforme as faixas estabelecidas pela legislação tributária e também depende da natureza jurídica da empresa.

Por fim, multiplique a base pelo percentual correspondente à alíquota aplicada para obter o valor exato do imposto que deve ser recolhido aos cofres públicos. Por exemplo: se a alíquota for 15%, basta multiplicar R$30.000 por 0,15 para chegar ao valor final do IRPJ (R$4.500).

You might be interested:  Guia Prático para Calcular o Consumo Mensal de Energia em kWh

É importante lembrar que esses são apenas exemplos ilustrativos e os valores reais podem variar conforme cada caso específico e as normas vigentes no momento da apuração dos impostos empresariais.

Dicas práticas incluem manter um controle rigoroso das receitas geradas durante todo o período fiscalizado (trimestre) e buscar orientação de um contador ou especialista na área tributária para garantir o correto enquadramento da empresa nas regras fiscais e evitar problemas futuros com a Receita Federal.

Conclusão

Você aprendeu em nosso artigo como calcular o Lucro Presumido, seu funcionamento e suas principais características, não é mesmo? Agora então que entende tudo sobre isso, pode calcular de maneira simples e intuitiva. Basta seguir as dicas que demos para cumprir com as suas obrigações fiscais ao longo do ano.

Se você gostou do que leu, não deixe de nos acompanhar em nosso blog e nas redes sociais para se manter atualizado sobre o mercado de contabilidade e empreendedorismo.

Caso deseje, você pode agendar uma consulta gratuita com os nossos especialistas.

Valores para considerar no cálculo do Lucro Presumido

As alíquotas do Lucro Presumido são:

1. Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ): 15%

2. Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL): 9%

3. Programa de Integração Social (PIS): 0,65%

4. Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS): 3%

O Lucro Presumido é um regime tributário vantajoso para empresas que possuem uma margem de lucro superior à margem estimada nesse regime. Ao optar pelo Lucro Presumido, essas empresas podem pagar menos impostos em comparação com outros regimes tributários.

É importante ressaltar que cada empresa deve analisar sua situação específica e fazer os cálculos corretamente antes de decidir qual regime tributário adotar. O auxílio de um contador especializado pode ser fundamental nesse processo, garantindo a escolha mais adequada e evitando problemas futuros com a Receita Federal.

Em suma, conhecer as alíquotas do Lucro Presumido e entender como calculá-lo adequadamente é essencial para garantir uma gestão financeira eficiente e evitar problemas fiscais no futuro.

Guias do Lucro Presumido: Quais são?

O Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) é um tributo que as empresas devem pagar sobre seus lucros. A Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) também incide sobre os lucros das empresas, sendo destinada ao financiamento da Seguridade Social. Já a Contribuição para o PIS e a Cofins são impostos que incidem sobre o faturamento das empresas, com o objetivo de financiar programas sociais e contribuir para a seguridade social.

Calcular o Lucro Presumido é uma forma simplificada de apurar o valor do IRPJ e CSLL, onde se presume um percentual fixo de lucro em relação à receita bruta da empresa. Para isso, é necessário conhecer as alíquotas aplicáveis ao setor em que a empresa atua e fazer alguns cálculos simples.

Neste guia prático com exemplos, você aprenderá como calcular o Lucro Presumido passo a passo, utilizando fórmulas simples e exemplos reais. Com esse conhecimento, será possível entender melhor como funciona essa modalidade de tributação e tomar decisões mais assertivas no planejamento financeiro da sua empresa.

Cálculo da alíquota efetiva do IRPJ e CSLL no Lucro Presumido

Caso a estimativa trimestral seja superior a esse valor, o excedente será tributado em mais 10%. Isso significa que parte do lucro acima dos R$ 60 mil estará sujeito à alíquota adicional de 10%, além dos 15% já aplicados. Essa regra visa incentivar as empresas a manterem suas receitas dentro do limite estabelecido e evitar possíveis distorções na arrecadação fiscal.

P.S.: É importante ressaltar que essas informações são válidas para empresas brasileiras e estão sujeitas às leis fiscais vigentes no país. Recomenda-se sempre consultar um contador especializado para obter orientações precisas e atualizadas sobre cálculos tributários relacionados ao Lucro Presumido.